sábado, 31 de março de 2012

Óleo de Coco



Oi Gente!! 
Como vão indo nesse final de semana?
Como não tem havido comentários, espero que estejam bem!!  =|
No dia 26/03 eu perguntei se alguém já tinha usado o tal óleo de coco, como não obtive nenhuma resposta, resolvi comprar e eu mesma chegar a resposta. Chega na segunda feria o meu óleo de coco, depois conto para vocês o que vai acontecer.
Hoje saiu uma matéria sobre o óleo de coco na 'Minha Vida', estou postando ela aqui para que conheçam.
Bjos e bom final de semana!
Bia
Sete bons motivos para consumir óleo de coco
Ele reduz o colesterol, controla o diabetes e ajuda a emagrecer
Quatro colheres de sopa por dia. Essa é a quantia média recomendada para o consumo do óleo de coco, uma gordura saturada, mas de origem vegetal, que está fazendo a cabeça não só de quem está de dieta, mas até daqueles que precisam controlar problemas de saúde. "O produto 100% natural apresenta propriedades que favorecem a perda de peso, reduzem o colesterol ruim e até controlam os níveis de açúcar no sangue", aponta a nutricionista Cátia Medeiros, da clínica Espaço Nutrição, em São Paulo.


Vendido em lojas de produtos naturais e algumas farmácias, o óleo de coco apresenta duas versões. Uma delas em cápsulas, que devem ser ingeridas no horário do almoço ou do jantar. Já a versão em óleo pode ser adicionada no preparo dos alimentos, em pastas e patês para acompanhar torradinhas ou mesmo em vitaminas. Para entender como ele age no organismo e conhecer outras boas razões para consumi-lo, o Minha Vida conversou com nutricionistas e elaborou a lista que você confere a seguir.


Controla a compulsão por carboidratos
Além de todos esses benefícios, o óleo de coco certamente deve ser um alimento que não pode faltar na dieta de quem tem diabetes ou de quem não resiste a uma guloseima. "Assim como os alimentos ricos em fibras, ele ajuda a manter níveis estáveis de glicose no sangue e não estimula a liberação de insulina, o que diminui a compulsão por carboidratos", explica a especialista Cátia Medeiros. Ao contrário de outros óleos poli-insaturados, que dificultam a entrada de insulina e outros nutrientes dentro das células, o óleo de coco favorece essa entrada e, por isso, a taxa de açúcar no sangue fica normalizada.
Mulher segurando prato com bolo - Foto Getty Images

Promove a saciedade
Por ser uma gordura, o óleo de coco tem uma digestão diferenciada. "Ele permanece mais tempo no estômago do que um carboidrato, por exemplo, o que aumenta a sensação de saciedade", explica a nutricionista Cátia Medeiros. Com o apetite reduzido fica mais fácil segurar a vontade de petiscar o dia todo, hábito que pode sabotar a dieta e, consequentemente, o desejo de emagrecer.
Mulher recusando pratos de bolo - Foto Getty Images

Acelera o metabolismo
De acordo com a nutricionista Maria Fernanda Cortez, da clínica Nutri & Consult, em São Paulo, se consumido diariamente, o óleo de coco aumenta o gasto energético do organismo. "Ele estimula o funcionamento da glândula tireoide, que está diretamente ligada ao nosso metabolismo, o que aumenta a queima de calorias", explica. Assim, não adianta apostar em dietas radicais se essa glândula e, consequentemente, seu metabolismo não está funcionando adequadamente. O ponteiro da balança simplesmente não sairá do lugar.
Mulher abraçando a balança - Foto Getty Images

Melhora a prisão de ventre
Por ter rápida absorção e solubilidade, o óleo de coco também é amigo do intestino. "Seus componentes agem normalizando o trânsito intestinal", diz Cátia Medeiros. As ações benéficas para o intestino também valem no caso de o intestino solto, pois ele ajuda a eliminar bactérias perigosas e favorece o crescimento da flora intestinal saudável.
Homem com dor de barriga - Foto Getty Images

Reduz o colesterol
O bom funcionamento da tireoide, favorecido pelo consumo de óleo de coco, também garante a redução do colesterol LDL (colesterol ruim) e a elevação do colesterol HDL (colesterol bom). "Isso ocorre porque essa glândula consegue metabolizar esse componente na formação de hormônios essenciais", explica a nutricionista Maria Fernanda. Com a normalização da taxa de colesterol sanguíneo há diminuição do risco de doenças cardiovasculares.
Homem com a mão no coração - Foto Getty Images

Fortalece o sistema imunológico
Outro benefício do óleo de coco é o fortalecimento do sistema imunológico. "Ele age no combate e na prevenção contra o ataque de bactérias e fungos que ameaçam nossa saúde e ainda melhora a absorção de nutrientes, reforçando as defesas do organismo", explica Maria Fernanda. Isso ocorre devido ao ácido láurico, também presente no leite materno e que tem o poder de combater inúmeras infecções.
Combate o envelhecimento precoce
Família unida - Foto Getty Images

"O óleo de coco promove a diminuição de radicais livres presentes no organismo, responsáveis pelo envelhecimento celular", aponta a Maria Fernanda. Segundo ela, isso acontece graças a ação de componentes da vitamina E, presentes no óleo. Até certo nível, os radicais livres são benéficos para o corpo, mas o acúmulo pode causar não só o envelhecimento precoce, como também o desenvolvimento de um câncer em decorrência da oxidação de células saudáveis.
Mulher olhando rugas da testa - Foto Getty Images

terça-feira, 27 de março de 2012

Quando comer se torna um vício

Comer muito, rápido e perder o controle da hora de parar são sinais de que alguma coisa pode estar errada.
Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica (TCAP), Comer Compulsivo ou simplesmente Compulsão Alimentar acontece quando uma grande quantidade de alimentos é ingerida de forma rápida e descontrolada. Esse comportamento se manifesta em forma de “ataques de alimentação” que duram de 20 a 40 minutos e, nesse curto período de tempo, o chamado comedor compulsivo pode chegar a consumir entre 2.500 e 10.000 calorias.
 É fato que a maioria das pessoas tem o hábito de descontar na comida algumas frustrações, ou até mesmo exagerar a dose num rodízio de carnes, por exemplo. Entretanto, não caracteriza o comer compulsivo se, naquele determinado dia, a pessoa estava com vontade de comer mais do que podia, mas sentiu prazer durante a refeição e estava plenamente consciente de que exagerava na quantidade. A compulsão alimentar ocorre justamente quando há a perda de controle nessas situações.
Segundo o Dr. Marco de Tommaso, psicoterapeuta membro da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), o termo “compulsão” refere-se ao fato de a ingestão se dar contra a vontade da pessoa. “Quem é compulsivo come uma grande quantidade de comida sem ao menos estar com fome; habitualmente às escondidas por vergonha, com a sensação de falta de controle sobre o que e o quanto come, e acompanhado de culpa, arrependimento e sensação de baixa autoestima”, comenta.
Ainda segundo Tommaso, mesmo que não tenha exagerado na alimentação, o comedor compulsivo aciona o gatilho de outros episódios igualmente compulsivos. “É uma pessoa extremista (impulsiva) e apresenta personalidade de ‘tudo ou nada’, ou seja, se a pessoa está fazendo uma dieta e come um único brigadeiro, já sente que perdeu o controle e começa a devorar tudo o que vê pela frente. Algumas pessoas chegam a dizer que não conseguem parar de comer e por isso repetem a mesma porção do mesmo alimento ou de outros, várias e várias vezes”, complementa.
As causas deste transtorno são desconhecidas, mas, segundo Mônica Cabral, endocrinologista membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), mais da metade das pessoas que o apresentam, possuem histórico de ansiedade e de de-pressão. “São pessoas que relatam tristeza, raiva, sentimentos negativos em geral, assim como remorso e solidão”, aponta. Além disso, existem aquelas que iniciam dietas muito severas e outros métodos de emagrecimento, como ingestão de shakes e fórmulas prontas, mas param no meio do caminho e, novamente, perdem o controle do que estão fazendo.
Apesar dos exageros e da obsessão pela comida, nem todos os comedores compulsivos são obesos. No entanto, a obesidade mórbida é a consequência deste comportamento, em médio e longo prazos. A ingestão descontrolada de alimentos compromete, também, o metabolismo, favorece o acúmulo de gordura e ainda pode provocar problemas no estômago.


Mude os Hábitos
Por não ter causas definidas, é difícil prevenir a compulsão alimentar. Mas, o ideal é que se busque ajuda o quanto antes. Assim, maiores são as chances de cura. O tratamento é interdisciplinar, ou seja, feito por diversos especialistas de uma única vez. Inicialmente, o psiquiatra faz o diagnóstico. Depois, é a vez do psicólogo, do endocrinologista e do nutricionista entrarem em ação, para reestruturarem os hábitos alimentares da pessoa.
Como complemento, o Dr. Marco de Tommaso recomenda a prática de atividade física, pois isso ajuda a relaxar e a controlar o peso, evitando assim doenças decorrentes da obesidade, como diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares.
“Faça atividade física. O melhor exercício físico é aquele que, mesmo cansada hoje, você tem vontade de fazer amanhã. Lembre-se que a endorfina, a substância produzida pelo nosso cérebro, que é responsável pelo bem-estar, é uma ‘droga do bem’ e só acontece quando você se exercita. Portanto, encontre a atividade física que lhe dê mais prazer e não perca tempo: mexa-se, pois uma vida mais saudável virá como consequência”, aconselha.

Texto retirado da Revista Curves, edição nº 6


segunda-feira, 26 de março de 2012

Como enganar a fome.




Bom dia, gente!
Como vão indo? Aproveitaram o fim de semana?
Eu e uma amiga começamos o TCC, passamos o sabadão mexendo com isso..
E a RA, como vão vocês? Eu estou indo a passos lentos, meu peso estacionou nos 70kg, não via nem pra baixo e nem pra cima.
Escutando a rádio Iguatemi, essa semana, ouvi o Leão Lobo falando sobre o óleo de coco, alguém já usou?
Eu queria usar, mas não achei para comprar aqui na minha cidade. Pelo que diz, ele diminui a ansiedade e ajuda no funcionamento do intestino, só não sei se é verdade né...
Como ainda não pesquisei sobre isso, se alguém souber sobre o assunto, pode comentar ai! 

Enquanto não descubro se o óleo de coco, funciona ou não, ai vai uma matéria da "Dieta nota Dez". Espero que gostem.
Bjos
Bia
DIETA NOTA DEZ: COMO ENGANAR A FOME

Um dos grandes problemas quando começamos uma dieta ou decidimos emagrecer é contornar a fome. Muitas pessoas fazem errado: passam grande tempo em jejum e para saciar a vontade, acabam exagerando na quantidade ou escolhendo errado os alimentos. Frustradas, acabam culpando a dieta que resolveram fazer mas que não conseguiram seguir direito. Visando estabelecer uma educação alimentar contínua e de resultado, entrevistamos Barbara Rescalli Sanches, nutricionista da Progress Academia. 

A especialista ensina truques infalíveis para driblar o grande inimigo dos regimes: a fome. “Seguindo esses passos, qualquer dieta vira nota dez já que você vai colher os resultados dela depois de um tempo”, declara Barbara.

Antes de começar, existe uma regra básica: devemos nos alimentar pelo menos a cada 3 horas para estimular o metabolismo, resultando em uma média de 5 a 6 refeições por dia deve ser realizada. Se mesmo com essa quantidade de lanches, você tiver fome, fracione ainda mais o consumo. “Consumindo menor quantidade, mais vezes por dia, você evita que aquele fome apareça fora de hora. A primeira coisa que devemos pensar é que o organismo não está equilibrado, pois um organismo equilibrado e saudável sente fome na hora que é para sentir fome”, explica Barbara. 

Outro erro comum, além de passar muito tempo sem consumir nenhum alimento, é ingerir pratos não saudáveis. “Não adianta quando aparecer aquela fome consumir alimentos não saudáveis, pois isso vai desequilibrar ainda mais o organismo fazendo com que esse ciclo se repita freqüentemente levando ao vício”, ensina.

Na hora em que a fome pintar, dê preferência para alimentos que nutrem e não apenas matam a fome. Isso quer dizer que devemos procurar alimentos ricos em nutrientes como frutas, suco naturais, castanhas como castanha-do-brasil, castanha de caju, avelã, nozes, frutas desidratadas como damasco, uva-passa, entre outros.
O importante é manter a qualidade, só assim você vai dar o nutriente que o corpo precisa, com isso vai parar de "pedir" comida fora de hora. “Essa fome é a falta de nutrição adequada, mesmo para quem tem uma alimentação saudável, porque os alimentos passam por diversos processos como mastigação, digestão e absorção que sofrem muitas influências”, fala a nutricionista. Se essa fome for freqüente, você precisa procurar a orientação de um nutricionista funcional para identificar qual é o seu problema. 
“Nunca esqueça da qualidade da sua alimentação, pois caloria não é tudo. Alguns estudos já comprovaram que a alimentação com mais calorias e qualidade emagrece mais que a pobre em nutrientes”, defende. Então, esqueça a contagem de calorias e procure orientação profissional para verificar qual a melhor alimentação e o cardápio específico para você.
 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...